Artigo

"La La Land" nos filmes, "The Crown" nas séries: Os grandes vencedores dos Globos de Ouro

O musical com Emma Stone e Ryan Gosling ganhou em todas as categorias para que estava nomeado. Em televisão, dominaram as novas séries "The Crown" e "Atlanta", bem como as minisséries "O Caso de O.J. – American Crime Story" e "O Gerente da Noite".

"La La Land" nos filmes, "The Crown" nas séries: Os grandes vencedores dos Globos de Ouro

O musical com Emma Stone e Ryan Gosling ganhou em todas as categorias para que estava nomeado. Em televisão, dominaram as novas séries "The Crown" e "Atlanta", bem como as minisséries "O Caso de O.J. – American Crime Story" e "O Gerente da Noite".

"La La Land: Melodia de Amor", que estreia em Portugal a 26 de janeiro, foi o grande vencedor da 74ª edição dos "Globos de Ouro", que se realizou no domingo à noite em Los Angeles.

O musical de Damien Chazelle, que tem arrecadado muitos prémios e está a ser muito popular nas bilheteiras, avançava com sete nomeações para a cerimónia e ganhou tudo: dominou a categoria de Comédia ou Musical com os prémios de Melhor Filme, Ator (Ryan Gosling), Atriz (Emma Stone) e recolheu ainda distinções pela Realização, Argumento, Banda Sonora e Canção.

O domínio de "La La Land", um número de vitórias recorde nos Globos, deixa para trás os seis prémios de "Voando Sobre um Ninho de Cucos" em 1976 e "O Expresso da Meia-Noite" três anos depois.

Ao mesmo tempo, a vitória de "La La Land" ofuscou todos os outros prémios, nomeadamente o de Melhor Filme Dramático, que costuma dominar as atenções: foi para "Moonlight", que assim recebeu o único Globo dos seis para que estava nomeado.

A noite teve ainda três outras surpresas: as vitórias de Aaron Taylor Johnson como Melhor Ator Secundário por "Animais Noturnos" e Isabelle Huppert como Melhor Atriz em Drama por "Ela", que foi ainda considerado o Melhor Filme Estrangeiro (que não pode repetir nos Óscares, já que não chegou ao grupo de nove finalistas de onde vão sair os cinco nomeados na categoria).

A maioria dos analistas apontava como favoritos nestas categorias (Melhor Ator Secundário e Melhor Atriz em Drama) Mahershala Ali por "Moonlight" e Natalie Portman pela interpretação em "Jackie", além do filme alemão "Toni Erdmann", mas acabaram por não vencer.

Nas restantes categorias de interpretação os prémios foram os esperados: Viola Davis foi a Melhor Atriz Secundária por "Vedações" e Casey Affleck o Melhor Ator por "Manchester by the Sea".

"Zootrópolis" ganhou o prémio de Melhor Filme de Animação, o que foi antecedido de um dos grandes momentos da noite, quando os apresentadores Steve Carell e Kristen Wiig "recordaram" de forma hilariante a primeira animação que viram... e os traumas pessoais que lhes estão associados (no vídeo abaixo).

Como anfitrião, Jimmy Fallon ainda arriscou algumas piadas sobre o processo eleitoral que elegeu Donald Trump, mas afastou-se o mais possível do tom controverso de Ricky Gervais e da ironia mais sofisticada da dupla formada por Tina Fey e Amy Poehler nos últimos anos. Logo no início, Fallon teve de lidar com uma avaria no teleponto, recorrendo ao improviso. Muito elogiada é a a sua prestação na paródia à cena inicial de "La La Land", com que abriu a cerimónia.

O beijo de Ryan Reynolds e Andrew Garfield, uma "consolação" após o primeiro perder o Globo de Melhor Ator em Comédia ou Musical para Ryan Gosling, também foi um dos momentos que mais reações imediatas provocou nas redes sociais (veja no vídeo abaixo).

Num tom mais sério, é incontornável a evocação de Debbie Reynolds e Carrie Fisher ao som de "You Made Me Love You" e o discurso de Meryl Streep ao receber o Globo de Ouro pela sua carreira: no momento mais político da noite, arrasou Donald Trump sem nunca o mencionar pelo nome, defendendo Hollywood, os estrangeiros e a imprensa, alguns dos alvos preferidos do presidente-eleito.

“Vocês e todos nós nesta sala pertencemos verdadeiramente aos segmentos mais vilipendiados da sociedade norte-americana neste momento. Pensem nisso. Hollywood, estrangeiros e a imprensa”, disse em tom de piada.

“Mas quem somos nós? E o que é Hollywood, de qualquer forma? Um monte de pessoas de outros sítios. Hollywood está cheia de forasteiros e estrangeiros. Se corrêssemos com todos, não havia nada para ver, a não ser futebol e artes marciais, que não são bem artes”, afirmou.

O discurso de Streep aconteceu a menos de duas semanas da tomada de posse de Trump, que realizou uma campanha contra mexicanos e muçulmanos.

"The Crown", "Atlanta", "O Caso de O.J." e "O Gerente da Noite: Os vencedores na TV

Em televisão, dominaram as novas séries: "The Crown", uma das maiores produções do serviço de streaming Netflix , e "Atlanta", da FX, foram consideradas, respetivamente, as melhores nas séries de Drama e Comédia.

A primeira, que acompanhará em cada temporada uma década do reinado de Isabel II, ainda valeu um Globo de Ouro para Melhor Atriz à atriz-revelação Claire Foy, precisamente pela interpretação da jovem monarca no período imediatamente antes e após a coroação.

"Atlanta" também deu um segundo prémio como ator em comédia a Donald Glover (o futuro Lando Calrissian em "Star Wars") e o de atriz foi para Tracy Ellis Ross por "Black-ish", deixando para trás a interpretação de Sarah Jessica Parker em "Divorce", uma das favoritas à vitória.

Nas minisséries, "O Caso de O.J. – American Crime Story" partia com o maior número de nomeações - cinco -, mas ganhou apenas dois Globos: Melhor Minissérie e Melhor Atriz (Sarah Paulson). A responsável pelo "estrago" foi "O Gerente da Noite". A minissérie adaptada da obra de John Le Carré, conquistou três dos quatro prémios para que estava nomeada: Melhor Ator em Minissérie/Telefilme (Tom Hiddleston), Melhor Ator secundário em Minissérie/Telefilme (Hugh Laurie) e Melhor Atriz Secundária em Minissérie/Telefilme (Olivia Colman).

Lista completa dos premiados

CINEMA

MELHOR FILME (DRAMA)
Moonlight

MELHOR FILME (COMÉDIA OU MUSICAL)
La La Land - Melodia de Amor

MELHOR REALIZAÇÃO
Damien Chazelle (“La La Land”)

MELHOR ATOR (DRAMA)
Casey Affleck (“Manchester by the Sea”)

MELHOR ATRIZ (DRAMA)
Isabelle Huppert (“Ela”)

MELHOR ATOR (COMÉDIA OU MUSICAL)
Ryan Gosling (“La La Land”)

MELHOR ATRIZ (COMÉDIA OU MUSICAL)
Emma Stone (“La La Land”)

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO
Aaron Taylor Johnson ("Animais Noturnos")

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA
Viola Davis (“Fences”)

MELHOR ARGUMENTO
La La Land

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Ela (França)

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Zootrópolis

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL
La La Land

MELHOR MÚSICA ORIGINAL
"City of Stars", de "La La Land"

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE (DRAMA)
The Crown

MELHOR ATOR (SÉRIE DRAMA)
Billy Bob Thornton ("Goliath")

MELHOR ATRIZ (SÉRIE DRAMA)
Claire Foy ("The Crown")

MELHOR SÉRIE (COMÉDIA)
Atlanta

MELHOR ATOR (COMÉDIA OU MUSICAL)
Donald Glover ("Atlanta")

MELHOR ATRIZ (COMÉDIA OU MUSICAL)
Tracy Ellis Ross ("Black-ish")

MELHOR TELEFILME OU MINISSÉRIE
O Caso de O.J. – American Crime Story

MELHOR ATOR EM TELEFILME OU MINISSÉRIE
Tom Hiddleston ("O Gerente da Noite")

MELHOR ATRIZ EM TELEFILME OU MINISSÉRIE
Sarah Paulson ("O Caso de O.J. – American Crime Story")

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Hugh Laurie ("O Gerente da Noite")

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Olivia Colman ("O Gerente da Noite")

PRÉMIO CECIL B. DEMILLE (CARREIRA)
Meryl Streep

Veja o desfile de estrelas na passadeira vermelha:

Comentários