Kevin Smith sofreu um ataque cardíaco a 26 de fevereiro, mas nem isso foi suficiente para Ben Affleck retomar o contacto.

O realizador disse ao The Daily Beast que ouviu falar de pessoas que "não davam notícias há anos", mas admitiu que uma delas não foi o antigo amigo.

Os dois deram juntos praticamente os primeiros passos em Hollywood, trabalhando em "Os Malucos do Centro" (1995), "Perseguindo Amy" (1997), "Dogma" (1999), "Jay e Silent Bob Contra-Atacam" (2001) e "Era Uma Vez... um Pai" (2004).

Questionado se as relações entre os dois "não estavam numa boa fase", Smith disse que não lhe chamaria isso mas que há vários anos que Affleck não lhe fala e nem o ataque cardíaco alterou isso.

"Talvez ele nem sequer tenha ouvido falar. Acho que ele provavelmente tem  um papel mais proeminente na minha mitologia do que eu na dele.", explica o realizador de 47 anos.

"Ele esteve em alguns dos meus maiores filmes, portanto no meu mundo ele ainda tem relevância. No mundo dele, não tenho peso sabe Deus há quanto tempo. E ele foi fazer coisas tremendas, enormes. Tornou-se uma gigantesca estrela de cinema e um realizador por mérito próprio. Portanto, acho que não apareço no radar dele tanto como ele aparece no meu", acrescenta.

Apesar de um acentuado declínio na carreira após o fracasso da comédia de ação "Não Chamem a Polícia!" (2010) com Bruce Willis,  Kevin Smith é uma das grandes personalidades da cultura "Comic-Con" e mantém muitos fãs nas redes sociais, com quem partilha a paixão pelos "comic books".

O realizador continua ativo através de podcasts e programas especiais onde fala da sua carreira... incluindo Ben Affleck, o que já causou problemas.

No verão passado, Smith recordou o que achava ser uma "história adorável" sobre um jovem Ben Affleck ter dito que "um homem beijar outro homem é o maior desafio de interpretação que um ator alguma vez pode enfrentar" depois de ler o argumento de "Perseguindo Amy" em 1996.

A revelação deixou o ator em maus lençóis.

"Portanto, se és o Ben Affleck, a única altura em que provavelmente vês o meu nome é quando complico a tua vida de alguma forma. Imagino que mesmo que tivesse ouvido falar do ataque cardíaco, ele provavelmente ficou 'Bem, estou contente que esteja vivo, adiante'. Dou demasiados problemas.", explicou.

Em 2014, Smith tinha dito que o afastamento entre os dois se consolidou com o casamento de Affleck com a atriz Jennifer Garner, que pensaria que o realizador era uma má influência.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.