O ator australiano e vencedor do Óscar Geoffrey Rush voltou a ser acusado de comportamento inapropriado.

A atriz australiana Yael Stone, uma das protagonistas da série do Netflix "Orange is the New Black", afirmou ao jornal New York Times que Rush dançou nu diante dela no camarim quando os dois atuaram na peça "The Diary of a Madman", em 2010 e 2011.

A atriz de 33 anos afirmou que Rush usou um espelho para observá-la enquanto ela tomava banho e que enviava mensagens de texto eróticas.

Num comunicado publicado no mesmo jornal, Rush afirma que as acusações são "incorretas e em alguns casos completamente retiradas do contexto".

"Lamento sincera e profundamente se provoquei alguma aflição. Isto, certamente, não foi minha intenção", completou.

A atriz explicou a um canal de TV australiano que na época não apresentou uma denúncia para não prejudicar a sua carreira, que estava a começar.

"Tinha pouca experiência, ele era uma estrela reconhecida internacionalmente, ganhou tudo que se poderia ganhar", disse Yael Stone numa entrevista ao canal ABC que será exibida esta segunda-feira.

Rush, 67 anos, está a processar o jornal Daily Telegraph australiano por ter publicado em novembro do ano passado que a Sydney Theatre Company recebeu uma queixa sobre ele.

Rush venceu o Óscar de melhor ator em 1997 pelo seu papel em "Shine - Simplesmente Genial" e é um dos poucos intérpretes que também recebeu o Emmy (TV) e o Tony (teatro).