Phoebe Waller-Bridge pode não ser muito conhecida em Portugal, mas os seus talentos são cada vez mais requisitados pela indústria.

A criadora, argumentista e protagonista das séries "Crashing" e "The Fleabag", que também adaptou "Killing Eve" para a televisão e interpretou L3-37 em "Han Solo: Uma História de Star Wars", foi chamada para ajudar a polir o argumento do "Bond 25", o quinto e último com Daniel Craig, que vai chegar aos cinemas na primavera de 2020.

Ela é apenas a segunda mulher a ter direito a um crédito como argumentista na saga: Johanna Hardwood esteve envolvida nos primeiros dois filmes, "Agente Secreto 007" (1962) e "007 - Ordem para Matar" (1963).

Phoebe Waller-Bridge em "Fleabag"

A britânica de 33 anos falou sobre o seu envolvimento e defendeu que os filmes continuam a ser relevantes, apesar da natureza da personagem, mas é necessário respeitar as personagens femininas, mesmo que o próprio espião não o faça.

"Tem havido muito debate sobre se [a saga] é relevante ou não por causa de quem ele é e a forma como trata as mulheres. Acho que isso são tretas. Penso que ele é absolutamente relevante agora. Apenas tem de crescer. Tem de evoluir e a coisa que é importante é o filme tratar as mulheres como deve ser. Ele não tem de o fazer. Ele precisa de ser fiel a esta personagem", explicou ao Deadline.

Phoebe Waller-Bridge contou ainda que é fã do que Daniel Craig fez como 007 e foi com entusiasmo que lhe escreveu diálogos, mas acrescentou que o argumento já existia e é injusto dizer que é da sua autoria.

A maior preocupação, acrescentou, foi mesmo garantir o realismo das personagens interpretadas por Léa Seydoux, Ana de Armas e Lashana Lynch e que as atrizes ficassem entusiasmadas quando lessem o argumento.

Algo que, observou, não aconteceu com ela no início da carreira.

O filme realizado por Cary Fukunaga vai arrancar com 007 de férias na Jamaica, a sua "casa espiritual" e Noruega, Itália e Inglaterra são outros locais das filmagens.

Apesar de ainda não ter título oficial, vai contar com os regressos ainda de Ralph Fiennes (M), Rory Kinnear (Tanner), Ben Whishaw (Q), Naomie Harris (Moneypenny) e Jeffrey Wright (Felix Leiter), além da própria Léa Seydoux. O vilão será Rami Malek, vencedor do Óscar de Melhor Ator por encarnar Freddie Mercury em "Bohemian Rhapsody".

A estreia em Portugal em Portugal está marcada para 9 de abril de 2020.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.