A Netflix chegou a acordo com os estúdios Paramount para fazer "O Caça Polícias 4", existindo ainda a opção para uma sequela.

Trata-se de um acordo do licenciamento ou seja, a Paramount permitirá à plataforma de "streaming" usar o que continua a ser a sua propriedade artística segundo parâmetros específicos.

Será agora a Netflix a tentar concretizar o que a Paramount não consegue há vários anos: o regresso ao ativo do detetive de Detroit transferido para Beverly Hills Axel Foley, num quarto filme da popular saga dos anos 80 com Eddie Murphy e o produtor Jerry Bruckheimer.

A plataforma de streaming irá trabalhar com esta dupla para montar o projeto a partir da base, encontrando argumento, realizador e financiamento.

Recentemente, várias sequelas de filmes com muitos anos, como "Doutor Sono" (a partir de "Shining", de 1980) e "Exterminador Implacável: Destino Sombrio" (que junta Schwarzenegger com Linda Hamilton pela primeira vez desde 1991) desiludiram nas bilheteiras.

Neste contexto, todos ganham com o acordo inventivo: a Netflix fica com mais um título mediático com uma grande estrela, reforçando a ligação com Eddie Murphy após "Dolemite Is My Name", enquanto a Paramount vai obter receitas com uma das sagas mais importantes da sua coleção sem arriscar outra desilusão de bilheteira.

O primeiro "O Caça Polícias", realizado por Martin Brest, lançou definitivamente a carreira do ator em 1984. Seguiu-se uma sequela em 1987 que também foi um sucesso, mas um terceiro filme, em 1994, foi considerado um ponto baixo.

Este século, foram várias as tentativas para ressuscitar a saga e ultrapassada a resistência inicial do ator em regressar, vários realizadores estiveram associados ao projeto, que até chegou a ser pensado para se tornar uma série de televisão.

A última tentativa conhecida foi em 2016, com os belgas Adil El Arbi e Bilall Fallah, que entretanto avançaram para outra sequela, "Bad Boys Para Sempre", que chega aos cinemas em 2020.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.