O antigo produtor de Hollywood Harvey Weinstein, declarado culpado há 10 dias por agressão sexual e violação, foi levado esta quinta-feira (5) para a prisão de Rikers Island, famosa por episódios de violência, após ser submetido a uma operação cardíaca.

Weinstein estava hospitalizado desde 24 de fevereiro, após sofrer de dores no peito e palpitações, depois do júri de Manhattan o ter condenado.

O produtor, cujos filmes ganharam 81 Óscares, foi levado para a enfermaria da Rikers após uma operação, disse à AFP a sua porta-voz, Juda Engelmayer.

Foi submetido a uma cirurgia para desbloquear o coração, disse Engelmayer, sem dar detalhes. Vários jornais americanos informaram que foi colocado um "stent" na última quarta à noite.

Após quase um mês de julgamento e cinco dias de deliberações, o júri considerou Weinstein culpado de agressão sexual em primeiro grau por praticar sexo oral na ex-assistente de produção Mimi Haleyi em julho de 2006, e por violação em terceiro grau da ex-atriz Jessica Mann em março de 2013.

O veredito foi considerado histórico para o movimento #MeToo contra o assédio e a agressão sexual.

Weinstein foi denunciado por assédio, agressão sexual ou violação por mais de 80 mulheres que o acusaram de assédio ou agressão sexual.

Os seus advogados anunciaram que irão apelar a sentença.

A pena será definida no próximo dia 11 de março pelo juiz James Burke.

Após a histórica condenação em Nova Iorque, ainda enfrentará um novo julgamento em Los Angeles, ainda sem data definida.

O Ministério Público de Los Angeles acusa-o de ter agredido sexualmente a ex-modelo Lauren Young na casa de banho de um quarto de um hotel em Beverly Hills, em 2013, quando a aspirante a atriz tinha 22 anos.

Ele também é acusado de ter violado uma modelo italiana na noite anterior ao incidente com Young.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.