Gwyneth Paltrow revelou o seu pior momento profissional e não, não foi o célebre discurso emocional quando ganhou o Óscar por "A Paixão de Shakespeare" na cerimónia de 1999 (pode ser visto aqui).

A "desonra" ficou para "O Amor é Cego", uma comédia de 2001 em que contracenou com Jack Black.

Gwyneth Paltrow nos bastidores de 'O Amor é Cego' créditos: Glenn Watson - © 20th Century Fox

Num novo vídeo promocional da Netflix, a atriz interroga o seu assistente e melhor amigo Kevin Keating para descobrirem se ele a conhece mesmo bem.

Este acerta quando diz que a interpretação preferida é o dueto nos prémios Grammys com Cee Lo Green (e os Marretas) em 2011 (disponível aqui).

Já a menos preferida está na comédia dos irmãos Farrelly, a que chama ele "Shallow Hallow" em vez de "Shallow Hal".

"Exatamente", responde Gwyneth Paltrow, com Kevin a acrescentar "Não tenho a certeza quem te disse para fazeres esse, mas não fui eu. Não estava a trabalhar para ti. Não andava por aí nessa altura".

"Foi antes do teu tempo. Vês o que aconteceu? Desastre", confirma a atriz.

O momento começa ao 1m46 segundos.

"O Amor é Cego" anda à volta de um homem superficial que só namora mulheres jovens e belas e que, após ser hipnotizado apenas para visualizar a beleza interior das pessoas, conhece e apaixona-se por Rose (a personagem de Paltrow).

Ela é bastante obesa, mas ele, claro, só vê alguém com o aspeto de... Gwyneth Paltrow.

A atriz teve de usar um fato especial, uma experiência que a marcou.

"Foi bastante triste, foi tão perturbador. Ninguém estabelecia contacto visual comigo porque era obesa. [...] Senti-me humilhada porque as pessoas foram realmente desdenhosas", descreveu numa entrevista da época.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.