O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu esta segunda-feira (29) o seu ídolo, a falecida estrela de Hollywood John Wayne, após os líderes democratas na Califórnia exigirem que o seu nome fosse removido de um aeroporto local por posições "racistas" por ele assumidas no passado.

O protagonista de filmes como "Cavalgada Heróica" e "A Desaparecida" manifestou "posicionamentos de supremacia branca, anti-LGBT e anti-indígena", disse o Partido Democrata do Condado de Orange, numa resolução aprovada na última sexta.

Os democratas referem-se a uma entrevista do ator à revista Playboy, em 1971, na qual Wayne disse: "Acredito na supremacia branca até que os negros sejam educados para serem responsáveis. Não acredito em dar autoridade e posições de liderança e julgamento a pessoas irresponsáveis" e "não me sinto culpado pelo facto dessas pessoas terem sido escravas de cinco ou dez gerações atrás".

"O Partido Democrata do Condado de Orange condena as declarações racistas e preconceituosas de John Wayne e pede que o nome e a imagem de John Wayne sejam removidos do aeroporto de Orange County", diz a resolução.

O pedido ocorre no momento em que estátuas e monumentos históricos estão a ser removidos em todo o país por causa do longo legado de racismo, principalmente após a morte de George Floyd, um homem negro que faleceu sufocado por um polícia branco no fim de maio, o que originou manifestações por todo o país.

"Agora, os democratas inúteis querem remover o nome de John Wayne de um aeroporto. Estupidez inacreditável!", disse o presidente americano.

Trump afirmou ser um "fã de longa data de Wayne", aparecendo ao lado da filha do ator, Aissa, no memorial de Wayne em Iowa durante a campanha presidencial de 2016.

A família de John Wayne argumenta que essa entrevista com a Playboy não representa o ator.

"Seria uma injustiça julgar alguém com base numa entrevista que está sendo usada fora de contexto", defendeu Ethan, filho de Wayne, ao falar sobre esse assunto com a CNN no ano passado.

"Eles estão a tentar contradizer como ele viveu a sua vida, e como ele viveu a sua vida era quem ele era", acrescentou o filho do ator, que casou com três mulheres latinas e falava fluentemente castelhano.

"É injusto julgar alguém por algo que foi escrito que ele disse há quase 50 anos, quando a pessoa não está mais aqui para responder. Independentemente da cor, etnicidade ou preferência sexual, o pai ensinou-nos a tratar todas as pessoas da mesma forma, com respeito", salientou numa outra declaração quando surgiu outro apelo para mudar o nome em outubro de 2019.

John Wayne protagonizou mais de 150 filmes em cinco décadas. Foi nomeado para três Óscares, ganhando o prémio de Melhor Ator por "A Velha Raposa", em 1969.

Os democratas argumentam que a população de Orange County, perto de Los Angeles, é muito mais diversificada hoje do que em 1979, ano em que Wayne morreu e quando o aeroporto recebeu o seu nome em sua homenagem.

Eles pedem para mudar o nome para "Orange County Airport".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.