Na terça-feira, (25), a Walt Disney Co. informou que Bob Iger deixava de ser o CEO da empresa, cargo que exerceu durante 15 anos, período em que a transformou na líder mundial de entretenimento.

Para assumir imediatamente a posição, o Conselho de administração do grupo nomeou Bob Chapek, um executivo veterano com 27 anos de experiência na Disney.

Bob Iger vai agora presidir ao Conselho e "dirigirá os esforços criativos da companhia", segundo um comunicado, concretizando o seu desejo de "passar o maior tempo possível nos aspetos criativos".

A mudança ocorre após Iger liderar a estratégia da Disney de adquirir a maior parte dos ativos de televisão e cinema da 20th Century Fox, de Rupert Murdoch, consolidando assim o seu domínio no setor.

Ele também liderou os esforços para lançar o novo serviço de streaming (Disney+), para concorrer com rivais como a Netflix e a Amazon Prime.

A Disney, líder em Hollywood e também com parques de diversões e operações de televisão, optou fortemente por investir no streaming.

O grupo pretende aumentar o volume do conteúdo original, aproveitando o seu gigantesco portfólio de títulos, que incluem sagas como "Star Wars" e o Universo Cinematográfico Marvel..

Chapek assume o cargo de CEO depois de liderar a divisão de Parques, Experiências e Produtos da Disney.

No seu último relatório trimestral, a empresa anunciou que o Disney+ tinha começado bem, adicionando mais de 28 milhões de utilizadores.

Além disso, destacou os bons resultados dos seus últimos filmes das sagas "Star Wars" e "Frozen II".

Os seus resultados de bilheteira globais em 2019 ultrapassaram os 11 mil milhões de dólares, "quebrando" um recorde da indústria cinematográfica também estabelecido pela própria Disney há quatro anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.