Trata-se do livro intitulado "Fotojornalimo ou A Gramática das Sensações", que contará com as apresentações do professor e crítico literário Cristóvão Seneta, do pesquisador e comunicólogo Circle Langa e do professor e pesquisador Nélis Elias.

A sessão de lançamento do livro, marcada para as 17h30, terá ainda os comentários da directora da Faculdade de Linguagem, Comunicação e Artes da UP, Leonilde Savenca, do jornalista e editor Elcídio Bila e da escritora Paulina Chiziane.

Nesta obra, Dionísio Bahule questiona o lugar da evidência reclamado pelo Fotojornalismo. É assim que inicia o livro que oscila entre os estilos científico e romance numa permuta constante, onde o trágico guia-se no corpo do livro, dando início com – Protágoras e Górgias - para descer com eles à Poética Clássica - Platão (sumário) e Aristóteles (cena).

“Depois sigo o caminho para conversar com várias escolas da arte e filosofia para com eles desaguar na imagem como corpo e perfomance na plena metáfora da evidência como transposição ao lugar positivo de que a fotografia nasceu”, lê-se numa nota do autor.

A estreia de Dionísio Bahule em livro, professor, ensaísta, crítico literário e músico, coincide com a da editora que lhe publica: TPC. Onde, por sinal, é editor. A preocupação desta mais nova editora no universo literário moçambicano, é publicar uma literatura com um cunho mais científico.