Segundo uma nota da organização, trata-se de uma mostra que reúne 14 coleções, com obras de 54 artistas plásticos contemporâneos dos países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor) em coleções existentes em Portugal.

O objetivo, segundo a mesma fonte, é mostrar a representatividade dos artistas lusófonos nas coleções em Portugal, reforçando a ideia de que a presença de artistas contemporâneos é crescente e tem vindo a aumentar exponencialmente nas coleções portuguesas.

Relativamente ao título da mostra, “Frente. Verso. Inverso”, explica que o mesmo reflete as diferentes maneiras, as diferentes culturas e identidades de artistas e de países, de se relacionarem com a história e com o presente.

“O conceito desdobrado ‘Frente, Verso, Inverso’” que denomina esta mostra pretende dar uma visão alargada da arte desenvolvida por artistas de várias gerações do século XX que, e momentos e contextos díspares, com recurso a múltiplas linguagens da criação artística, da pintura ao desenho, da escultura ao vídeo e à instalação, nos trazem abordagens distintas sobre o mundo lusófono”, salienta o documento.

A exposição estará patente ao público até ao dia 13 de novembro, em Lisboa (Portugal).