"Vocês não pensaram mesmo que eu iria perder a oportunidade de desejar um feliz Natal, pois não?", pergunta Kevin Spacey num vídeo partilhado nas redes sociais esta terça-feira, 24 de dezembro.

O ator apresenta-se junto de uma lareira, com uma postura que remete para a de Frank Underwood, personagem que interpretou em "House of Cards". Spacey foi despedido da série pela Netflix após acusações de assédio sexual, em 2017, e Ridley Scott eliminou todas as suas cenas no filme "Todo o Dinheiro no Mundo" (2017), tendo sido substituído por Christopher Plummer.

"Foi um bom ano, e estou grato por voltar a ter saúde", diz o ator no vídeo, antes de apelar a "mais bondade no mundo" em 2020:

"Da próxima vez que alguém fizer alguma coisa que vocês não gostem, podem partir para o ataque. Mas também podem conter-se e fazer o inesperado. Podem matá-lo com gentileza", sugere com uma atitude irónica que remete para a de Underwood, lembrando ainda as acusações e críticas de que foi alvo nos últimos anos.

No Natal de 2018, Spacey já tinha publicado um vídeo, intitulado "Let Me Be Frank", na qual se dirigia ao público sem qualquer arrependimento e em tom de desafio, ao melhor estilo da série "House of Cards". Pedindo às pessoas para não se precipitarem a tirar conclusões sem conhecer todos os factos, Underwood e Spacey confundiram-se ao longo de três minutos:

Vencedor de dois Óscares por "Os Suspeitos do Costume" (1995) e "Beleza Americana" (1999) e considerado um dos melhores artistas de sua geração, Kevin Spacey tem visto a sua carreira desmoronar-se após inúmeras acusações de agressão sexual.

O ator de 59 anos foi acusado formalmente em janeiro de abuso sexual de um adolescente, declarando-se inocente. Em julho, as autoridades retiraram as acusações, num caso que acabou enfraquecido pela própria suposta vítima, depois de um telemóvel com as alegadas provas ter desaparecido.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.