O EP da autoria de Jerry Z é composto por cinco faixas, divididas entre os géneros musicais kizomba, afro-naija e marrabenta, nas quais maioritariamente aborda questões amorosas, e justifica-se – “Identifico-me com assuntos do coração, por isso é que nos meus temas sempre enalteço o amor,  a ver se as relações amorosas se tornam realmente eternas”.

Com “Amor Eterno”, Jerry Z espera dar a conhecer o seu talento ao mundo e, consequentemente, promover a sua imagem, num mercado no qual reconhece a sua competitividade e dinâmica.

“Neste EP, espero ter descarregado a minha bagagem adquirida durante os anos que estive a estudar a música e o mercado. Em suma, trago o resumo daquilo que é a minha praia”, explicou rematando que a mistura dos três ritmos não é por acaso, mas sim uma forma ousada de provar que pode e se sente à vontade a cantar em diversos estilos musicais.

"Uma das minhas maiores expectativas é contribuir para o desenvolvimento da cultura moçambicana, numa fase em que a palavra de ordem é  o consumo do que é nosso", revelou.

Neste sentido, Jerry Z lamenta o facto de a maioria dos que levantam este debate não trazerem práticas revolucionárias para o desenvolvimento da cultura nacional.

Contudo, o trabalho de Jerry Z será lançado, numa primeira fase, conforme planeou, em formato electrónico, na semana dos namorados, para facilitar o acesso, e mais tarde em formato físico.

O músico adiantou ainda que pretende lançar o seu primeiro álbum ainda este ano e que, também na semana do São Valentim, irá disponibilizar o videoclipe da música Única Mulher, contida no EP "Amor Eterno".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.