O COVID-19 tem levado ao cancelamento de vários eventos culturais na capital e nos restantes pontos do país.

Os cancelamentos têm sido motivados pelas medidas de prevenção que têm vindo a ser veiculadas pelos órgão de comunicão social segundo as quais, entre outros pontos, devem ser evitados locais com aglomerações de 50 ou mais pessoas.

À margem disso, a Khuzula Produções, empresa organizadora do Festival Azgo, um dos mais conceituados eventos musicais de África, emitiu um comunicado a anunciar o adiamento do mesmo. Passamos, entretanto, a citar:

"Depois de alguma ponderação e auscultação aos nossos parceiros, patrocinadores e artistas, como organização do AZGO chegámos à conclusão que é imprescindível que as recomendações da OMS e fo Governo em particular sejam seguidas pelo bem da saúde pública e de toda a humanidade. Por isso vamos passar a festa dos 10 anos do AZGO para 2021".

"Com este adiamento queremos igualmente nos juntar a todas as entidades públicas e privadas para apelar à sociedade a observar as recomendações oficiais para evitar contaminações em Moçambique.", pode ainda ler-se no mesmo documento.

Hoje, o Presidente da República, Filipe Nyusi, dirigiu-se à nação para decretar o encerramento das escolas, desde o ensino pré-primário até ao superior. Esta medida entra em funcionamento na próxima segunda e vai durar um mês até que a situação amenize-se.

Na mesma ocasião, Nyusi destacou alguns meios de prevenção do coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19 que já infectou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram. Das pessoas infetacdas, mais de 89.000 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em Dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.