"Todos podem usar uma máscara e todos devem usar uma máscara para se proteger, proteger as suas famílias e as pessoas ao seu redor", disse Yolanda Kakana, vocalista da banda, citada numa nota.

Um videoclipe é um meio poderoso de mobilização da população para o uso de máscara, num contexto em que a maioria da população moçambicana é incapaz de ficar em casa, porque depende da economia informal para o seu ganha-pão, sustenta o comunicado.

"No percurso de casa ao trabalho ou no sentido contrário, as pessoas recorrem aos transportes públicos quase sempre lotados, situação que eleva o risco de adquirir ou de transmitir o vírus", refere ainda o documento.

O videoclipe que Kakana lança hoje está inserido no lema "Use máscara, proteja-te e proteja o próximo" escolhido pela organização não-governamental h2n, responsável pela produção musical.

A ação faz parte de uma iniciativa para a prevenção do novo coronavírus e que envolve outros conjuntos musicais e artistas moçambicanos.

A iniciativa tem uma produção semanal, sendo escolhido um lema representativo para cada semana.

Moçambique tem 424 casos de infeção pelo novo coronavírus e dois óbitos.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 403 mil mortos e infetou mais de sete milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 5.175 mortos confirmados em mais de 189 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.