Trata-se de uma composição que faz menção de um facto social causado pelas peculiaridades de determinadas profissões – a ausência no lar, quer seja em datas comemorativas, ou em momentos de dor.

“São situações que podem gerar descontentamento, angústia, sofrimento ou até mesmo ciúme por parte de um dos cônjuges”, afirma o artista, em comunicado.

Polícia, enfermeiro, médico, músico, jornalista, apresentador, locutor, guarda, são alguns exemplos de profissionais, citados pelo cantor, que exercem as suas actividades também fora do horário normal do expediente.

“Tenta-se de alguma forma apaziguar e acalmar o coração dos que sentem isso na pele e ao mesmo tempo elucidar que todo aquele esforço é também por eles, para que lhes seja proporcionada uma vida condigna e sem dificuldades”, explica.