Tem apenas 17 anos e já faz sucesso nas noites de Maputo. Lady K, descobriu muito cedo a paixão pela música, graças ao seu pai que também foi dj.

Em entrevista ao SAPO, Kellyn Marrafa falou de quando descobriu o gosto pelas “misturas”, de como é ser dj em Moçambique e dos desafios tanto por ser mulher, como por ser muito nova nesta arte.

“Comecei a sair muito cedo, e durante as noitadas perguntava-me, como é que eles (os djs) conseguem trocar de música tão bem sem se notar. Foi a partir daí que tudo começou”, começou por contar Lady K.

Há quem diga que ela é demasiado jovem para esta profissão, principalmente quando o assunto é perder noites e estar rodeada de um público mais velho. Mas esta é uma situação que em nada assusta a jovem. “No início a minha mãe perguntava-me  o que eu estava a fazer num mundo maioritariamente masculino, e eu sempre respondi que sentia-me normal. Aceito que por vezes sou o centro das atenções por ser muito nova e rapariga, mas é normal”.

Habitual passou a ser não só para a família como também para os amigos que nunca deixaram de questionar como foi que tudo começou e o porquê de ter escolhido este hobby.

Os seus ritmos de eleição são o house, mas a dj não fica assustada quando tem que tocar outros estilos musicais. “Comecei com o house, por isso hoje posso dizer que domino este ritmo. E, no nosso mundo não existem ritmos bons nem ritmos maus, existem sim, uns ritmos mais difíceis e outros mais fáceis, mas gosto de tocar quase tudo”, explicou.

Lady K já teve a oportunidade de partilhar o palco com grandes djs nacionais e internacionais, mas há um que a marcou e que não deixa de tirar-lhe o chapéu, o sul-africano Black Coffe.

“O Black Coffe me impressiona muito. Não pelo facto de tocar tão bem, isso todos nós sabemos, mas tocar tão bem usando apenas uma mão...quem me dera”, revelou Kelly.

Apesar de ser apaixonada por esta arte, K reconhece que não é fácil viver desta profissão em Moçambique, por isso, prefere não sonhar muito alto e continuar a fazer música como arte e como paixão.

“São dois os motivos que não me deixam levar esta arte como profissão, primeiro as condições de vida de um dj aqui no país e segundo, pelo facto de ter como sonho seguir advogacia. Não há mercado para djs em Moçambique por isso é uma profissão muito arriscada”, contou.

Sem querer revelar os planos para o futuro, Lady K garante que se tudo correr bem o mercado terá um trabalho com a sua assinatura, mas para já, prefere apenas animar as noites de Maputo.

ID

Nome completo: Kellyn Lisa Marrafa

Idade: 17

Tempos livres: Ouvir música, ver televisão, estar com o namorado  e com amigas

Ídolos: Dj's Armin Van Buuren e o Dash Berlin

Destino turístico dentro de Moçambique: Pemba

Cidade de sonho: Milão

Comida: Sushi

Lema de vida: "Faz assim vamos tentar até amanha, e depois até sexta, e deixa a vontade mostrar ate quando ...”

SP

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.