Em conversa com o CEO da label “Matimba”, formada em 2012, que significa "Força", o SAPO ficou também a saber que a particularidade do projecto é, para além de promover novos talentos, criar condições para o fortalecimento das relações entre os actuais membros, abrindo deste modo caminhos para um crescimento equilibrado e íntegro da carreira de cada um.

Teotónio Nguenha revelou ainda que pretende expandir a sua label para todo o território nacional encontrando-se actualmente com representação na Beira, Quelimane e, maioritariamente, em Maputo.

Consta do quadro de formação da Matimba, artistastas como Deyse Wamba, Ivan Aires, Patrick Manuel, Henrique e o Gasso, este que é um dos artistas mais solicitados na Europa, tendo, nesta senda, ganho o prémio “Artista Revelação” do ano 2014 no Kizomba Music Awards. Aliás, para Nguenha esta foi a maior realização do projecto até hoje.

“O alcance do projecto Matimba não é apenas a fama, por isso temos princípios rijos por forma a salvaguardar não só a imagem dos nossos membros, como também a do grupo”, afirmou Nguenha acrescentando que o Projecto Matimba é uma escola quase que obrigatória pela qual os novos artistas devem passar para adquirir conhecimentos básicos e, consequentemente, sentirem-se livres a escolher o seu rumo.

Dos membros activos, o nosso interlocutor citou James Ngomane, Mike Muller, Minda Luís, Magretty, Nillas e Neykoss.

O projecto pretende lançar, ainda este ano, cinco videoclipes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.