Pabllo Vittar editou o seu novo álbum, "111", na semana passada e esta quarta-feira, dia 1 de abril, esteve em direto no Instagram do SAPO para conversar sobre os novos temas. O disco da artista conta com nove canções e com a colaborações especiais de Ivete Sangalo, Thalía, Charli XCX, Psirico e Jerry Smith.

Pabllo Vittar quebrou preconceitos e conquistou o seu lugar no mundo da música brasileira - e tem dado passos largos na carreira internacional. A drag queen estreou-se em Portugal, a solo, em abril de 2019, no Campo Pequeno, em Lisboa.

Em 2015, "Open Bar", uma versão de "Lean On", de Diplo, começou a fazer mexer as pistas de dança no Brasil, e o nome Pabllo Vittar foi despertando mais e mais curiosidade junto da comunidade LGBTQ+. E o sucesso chegou com "Todo o Dia", um dos temas mais tocados na época do carnaval em 2017.

Seguiu-se "K.O.", um dos singles do primeiro álbum da artista, "Vai Passar Mal". "Yukê" (expressão que significa "e o quê?")? A partir daí, Pabllo Vittar não mais parou e começou a atravessar fronteiras com "Sua Cara", tema em parceria com os Major Lazer e Anitta.

Do primeiro disco saíram ainda os temas "Corpo Sensual", "Então Vai" e a balada "Indestrutível". Já com uma grande legião de fãs, dentro e fora do Brasil, a artista surpreendeu ao atuar num pequeno palco do Rock in Rio Brasil 2017, no Rio de Janeiro.

Um EP, dois discos, um documentário na Apple Music e uma série na Netflix (Pabllo Vittar dá voz a uma personagem na série de animação "Super Drags"), a artista está "linda, livre, leve e solta" e a conquistar o mundo.  De single em single, foi agarrando mais e mais seguidores: no Instagram, a drag queen soma mais 10 milhões de seguidores, tendo ultrapassado a estrela RuPaul (três milhões de seguidores).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.