"A Guerra dos Tronos" está a aproximar-se do fim e para alguns fãs muitas das história dos Sete Reinos não estão a ser exploradas. Em entrevista à Rolling Stone, George R.R. Martin, autor da saga que inspirada a superprodução da HBO, confessou estar "triste" e "melancólico" com o fim da série.

"Claro que tenho uma reação emocional. Quer dizer, será que eu preferia que eles tivessem feito exatamente como eu fiz? Claro. Também pode ser traumatizante, porque às vezes a visão criativa deles e a nossa própria visão criativa não combinam, e fica-se com a famosa diferença criativa — que leva a muitos conflitos", sublinhou o escritor à revista.

Para George R.R. Martin, a série não tem sido "completamente fiel" à sua obra. "Eles têm de pesar coisas muito mais estranhas, como o estúdio ou o canal. Eles têm de considerar uma coisa em particular, que nada tem a ver com a história, mas que se relaciona com ‘bem, esta personagem tem um Q Rating [que mede a familiaridade do público com a personagem] muito alto, então vamos dar-lhe mais coisas para fazer’. A série tem sido… não completamente fiel. Caso contrário, teria que durar mais cinco temporadas", explicou.

"Estou um pouco triste, na verdade. Gostava que eles fizessem mais algumas temporadas. Mas eu percebo. Dave e Dan vão fazer outras coisas e tenho a certeza de que alguns atores assinaram um contrato de oito anos e que gostavam de ir desempenhar outras personagens. Tudo isto é justo. Não estou chateado, nem nada do género, mas há um pouco de melancolia em mim", acrescentou em entrevista à Rolling Stone.