Nicolas Cage vai ser Joe Exotic numa série sobre a "estrela" do documentário "Tiger King: Morte, Caos e Loucura", confirmou a publicação especializada Variety.

O projeto com oito episódios inspira-se num artigo do jornal Texas Monthly cujos direitos foram comprados em junho de 2019, muito antes do documentário em sete partes (e um especial) estrear na Netflix e se tornar um fenómeno de popularidade mundial.

Será o primeiro papel televisivo para o vencedor do Óscar com "Morrer em Las Vegas" (1995), mas não vai destoar na carreira do ator que tem uma merecida reputação pela forma intensa como representou várias personagens bizarras no cinema.

A peculiar vida de Joseph Allen Maldonado-Passage, mais conhecido por Joe Exotic, destaca-se sobre figuras excêntricas do submundo da criação de felinos selvagens, com uma história real descrita como mais estranha do que muitas ficções.

Polígamo homossexual de aspeto caricato, amante de armas, música country e tigres, dirigia um jardim zoológico de beira de estrada e chegou a ser candidato independente às eleições presidenciais nos EUA (recebeu 962 votos) e às primárias para o cargo de governador de Oklahoma (foi eliminado na primeira ronda, com 664 votos). A série explorará "como se tornou Joe Exotic e como se perdeu numa personagem que ele mesmo criou".

À volta do carismático e insensato Joe estava um rol incrível de excêntricos, como traficantes de droga, vigaristas e líderes de seitas, todos partilhando a paixão pelos felinos e o estatuto e atenção que as suas perigosas coleções de animais selvagens lhes granjeiam.

Tudo isto foi ameaçado quando entrou em cena Carole Baskin, uma também excêntrica defensora dos direitos dos animais e proprietária de um santuário para grandes felinos: a rivalidade durou anos e foi em crescendo, acabando por se descontrolar e levar à detenção de Joe por ter contratado um homem para a matar e também por outros crimes.

Como se esta intriga de crime não tivesse já muitos ingredientes, ainda existe o mistério do desaparecimento do segundo marido de Carole em 1997, por resolver até hoje: Joe garante que a esposa o deu comer aos seus tigres.

VEJA O TRAILER DE "TIGER KING":

Desde 20 de março que todas estas histórias e personagens fascinaram pessoas forçadas a ficar em casa por causa da COVID-19: foram 34 milhões de lares em dez dias.

Nada disto passou despercebido ao próprio Joe Exotic, a cumprir uma pena de 22 anos de prisão e a receber centenas de emails de mensagens à conta da nova fama: os realizadores do documentário disseram no início de abril que queria ser interpretado num filme sobre a sua vida por Brad Pitt ou David Spade (neste caso, o de 2001, dos tempos de "Joe Dirt").

Joe Dirt (2001)

Ainda não existem informações sobre um filme, mas também está em preparação uma minissérie à volta de Carole Baskin, que será interpretada pela camaleónica comediante do Saturday Night Live Kate McKinnon. Ainda não foi anunciado quem ficará com o papel de Joe Exotic nesse projeto.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.