Nesta segunda edição do programa serão apoiados nove projetos inéditos de documentários de televisão, "que apresentem uma visão original que aborde processos contemporâneos da respetiva realidade nacional", refere a CPLP.

Entre os projetos a apoiar contam-se "Elinga Teatro 1988-2008", de Paulo Azevedo (Angola), "A experiência de Moçambique na gestão de mudanças climáticas 2000-2018", de Tânia Machonisse (Moçambique), "Margot Dias, uma viagem aos Macondes de Moçambique", de Catarina Alves Costa (Portugal), e "Música da Resistência", de Francisca Maia (Timor-Leste).

A eles juntam-se ainda "Entre a porta e a rua", Rafael Figueiredo (Brasil), "Bidon: nação ilhéu", de Celeste Fortes (Cabo Verde), "Bijagó o tesouro sagrado", de Domingos Sanca (Guiné-Bissau), "Ritmo de ida e volta", de Ngolo Makuale (Guiné-Equatorial), e "O Estado Crioulo de África", de Teodora de Ceita da Luz Martins (São Tomé e Príncipe).

O júri de seleção, que avaliou 192 projetos a concurso, integrou António Ole (Angola), Leonor Silveira (Portugal), Tatiana Cobbett (Brasil), Leão Lopes (Cabo Verde) e Flora Gomes (Guiné Bissau).

Estes nove projetos de documentário terão apoio de coprodução no valor de 50 mil euros, os realizadores e produtores participarão numa Oficina de Desenho Criativo e terão estreia assegurada nas emissoras públicas de televisão da CPLP.