Ainda antes da estreia da segunda temporada, que estreou em setembro de 2019, a Netflix anunciou mais um capítulo de "Elite". Os novos episódios da série espanhola chegam ao serviço de streaming em março.

A morte de Marina, os dramas dos relacionamentos na adolescência, a relação entre os pais e os filhos e a vida da "elite" da cidade foram alguns dos ingredientes principais dos primeiros episódios da série espanhola.

Na segunda temporada, as redes sociais, as relações familiares, as amizades e amores foram os tópicos principais. O dinheiro e o mistério também marcaram o rumo da história. "O dinheiro corrompe... quando tens 16 anos e vives num mundo capitalista, dizem-te que vais viver melhor se tiveres muito dinheiro. Que vais ter poder. É algo que se foi enraizando e que não é real. Isso faz-me lembrar a personagem da Cayetana", defendeu Mina El Hammani em conversa com o SAPO Mag.

Para Miguel Bernadeau, o objetivo da história não é passar a mensagem de que as pessoas ricas fazem coisas más: "Não é essa a mensagem que tentámos passar, mas percebo que esse seja o pensamento de quem vê".

"É curioso que a família mais pobre da série é a família mais próxima, a que tem uma união real. E aqui as famílias dos ricos são horríveis", acrescentou Omar.

Para Ester Exposito (Carla), as histórias contadas em "Elite" não são apenas para jovens. "Acho que os adultos podem gostar porque é uma série com várias camadas", defende. "Porque todos  [adultos e jovens] querem fazer parte de algo, de um grupo, quer seja na escola ou no trabalho. Queremos sempre encontrar a felicidade", acrescenta Danna Paola (Lu).

As duas primeiras temporadas de "Elite" encontram-se disponíveis na Netflix.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.