Gregório Duvivier, humorista que faz parte do coletivo brasileiro Porta dos Fundos, analisou a entrevista polémica de Regina Duarte, secretária especial da Cultura do governo Bolsonaro, à CNN Brasil. Na conversa, a atriz desvalorizou a censura e a tortura durante a ditadura, relativizando ainda o impacto do novo coronavírus.

No quarto episódio de "Greg News", intitulado "Leveza", o humorista começa por frisar que "nesta edição, o programa não vai falar de morte". "Hoje vamos escutar a secretária da Cultura Regina Duarte e fazer um programa leve", graceja, recordando uma das frases de Regina Duarte na entrevista: "Não quero arrastar um cemitério de mortos nas minhas costas! Não desejo isso pra ninguém! Eu sou leve, sabe? Eu tô viva! Estamos vivos! Vamos ficar vivos!", disse a atriz.

"Que ideia boa. Não tinha pensado nisso. O pessoal está a morrer, deve ser porque não ouviu a Regina. Se ouvisse mais a Regina tinha tido esse 'estalo'. Temos que ficar vivos. Por isso que está a morrer gente no Brasil. Fiquem vivos. Tem que colocar isso no hospital e em grande, vai ver morre menos gente, não é? 'Fiquem vivos!' Assinado: Regina", gracejou.

No programa da HBO Brasil, Gregório Duvivier recorda ainda uma conversa com Ricardo Araújo Pereira, em que o humorista explica que não há diminutivos em inglês. "Eles não sabem o que é estar quentinho", brincou o português.

Em "Greg News", o humorista brasileiro recordou ainda que Regina Duarte cantou "Pra Frente Brasil", uma "marchinha" associada à ditadura, durante a entrevista.

Veja o vídeo:

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.