No programa, o apresentador comentou uma declaração do músico Falcão sobre a drag queen. "Pabllo Vittar ainda tem os efeitos de estúdios, equalização, afinação… O que foi fazer o Pabllo Vittar aos Melhores do Ano do Faustão? Nem a música dele ele consegue cantar. O que foi aquilo? Cantou fora do tom, só gritava. Meu Jesus do céu! Eu sou mais o meu amigo Falcão”, disse o apresentador.

Veja aqui o vídeo do programa:

Em comunicado, o canal anunciou a saída do apresentador, pedindo desculpa a todos os "que se sentiram desrespeitados". "O apresentador teve um posicionamento que não condiz com os valores defendidos pela RTC. Em respeito ao ser humano, independentemente da crença, classe, etnia, género e/ou orientação sexual. Informamos ainda que foram tomadas medidas administrativas para que tal facto não se volte a repetir. Desta forma, pedimos desculpas aos nossos internautas e telespectadores e a todos aqueles que se sentiram desrespeitados”, frisa a direção.

Pabblo Vittar é uma das novas estrelas da música brasileira e está a conquistar fãs um pouco por todo o mundo,tendo chegado ao top Social 50 da Billboard. Mas os sucessos não se ficam por aqui: a artista foi considerada uma das estrelas do carnaval do Rio de Janeiro, é a drag queen mais seguida no Instagram e lidera os tops de música no Brasil.

Ver artigo

O 'efeito Vittar' começou recentemente e parece não conhecer limites. Depois de lançar o tema "Corpo Sensual", cujo vídeo soma mais de 105 milhões de visualizações, a drag queen brilhou no primeiro dia do Rock in Rio Brasil ao atuar de surpresa num pequeno palco de uma marca para mais de 50 mil pessoas. No dia seguinte, subiu ao Palco Mundo a convite de Fergie, a ex-vocalista dos Black Eyed Peas.

O sucesso de Pabllo Vittar vai contra os preconceitos do Brasil, um país homofóbico e líder no ranking de assassinatos de transexuais, mas que ao mesmo tempo venera a drag queen que se juntou a Anitta no tema "Sua Cara".